Sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2010

Informação

 

Esta Direcção pretende informar os seus associados de uma situação que ocorreu mais perto de 19 de Dezembro de 2009.
De tal modo a Direcção, para melhor informar os sócios, decidiu postar neste site uma cópia da ocorrência que foi enviada à executante da Banda Musical, Mª José.
A Direcção está aberta a qualquer esclarecimento ou solução de cada associado. Assim podem-nos enviar a sua opinião para: “cc-outeiroseco@sapo.pt.” (como está no canto
superior direito).

 

 

 

Para:
Maria José do Rio Gomes
Bairro do Cruzeiro
Outeiro seco
5400 Chaves
 
Esclarecimento da situação em relação á Banda Musical
 
A Direcção da Casa de Cultura vem por este meio relembrar-lhe, o procedimento que teve com esta Instituição e mais propriamente com a Banda Musical:
1.                Em 19 de Dezembro de 2009, depois de estar presente numa Assembleia-geral, disse á saída para alguns elementos da Direcção que lhe fossem feitas as contas referentes a dois serviços prestados pela Banda, dos quais esteve presente. Disse ainda que se o irmão não ganhasse as eleições, sairia da Banda.
2.                No dia 23 de Janeiro de 2010, um elemento da Direcção dirigiu-se a sua casa para lhe dar informações referentes a um serviço para o dia seguinte, ao qual voltou a responder que não iria mais para a Banda e que “Se fosse, tinham de piar fino” com ela.
3.                No dia 27 de Janeiro de 2010, foi à Casa de Cultura, dizer que a filha teria mudado para a Banda dos Pardais, e aqui a Direcção atendendo a este facto e a insinuações de que a filha fora mal tratada por elementos da Direcção, alegou que elementos adultos da Direcção da Banda, puseram a filha a chorar, que lhe andavam aos empurrões, que lhe dirigiram palavras malcriadas. Além disto ainda desafiou pelo menos dois elementos desta Banda para irem para a Banda dos Pardais. Como a Direcção já sabia que ela tinha difamado certos elementos, e dito o que acima referimos, decidiu como é óbvio, prescindir dos seus serviços.
4.                No dia 28 de Janeiro foi-lhe pedida a sua presença à Casa de Cultura para um melhor esclarecimento e compreensão, ao que realmente foi, acompanhada da filha e da irmã. Aí disse que iria desistir e entregar a farda juntamente com o respectivo instrumento (tudo isto ainda continua em seu poder, pertencente a Banda Musical). Confirmou ainda que era verdade que já tinha ido à Banda dos Pardais para se mudar para lá, pois foi confrontada por esta Direcção que já sabia que lhe tinham sido oferecidos um Clarinete, ao qual ela não se adaptou e foi trocado por outro, do qual também não se estava a adaptar muito bem. Disse que na verdade não se sentia bem em tocar dois instrumentos diferentes. Ficou acordado que um elemento da Direcção iria entrar em contacto com ela no dia 01 de Fevereiro de 2010, para ser feita a respectiva entrega do instrumento e o fardamento, que depois de um contacto telefónico recusou o que prometera.
5.                Atendendo a todos estes acontecimentos, ela não se dirigiu à Casa de Cultura para entregar os respectivos pertencentes da Banda, a Direcção entendeu por bem pedir a colaboração a GNR, para uma melhor compreensão e para que tudo fosse feito com harmonia
6.                À GNR disse que só entregava se lhe fosse entregue uma carta de despedimento.
A Direcção como pode prever, não tem que fazer isso, sendo assim relembramos o seguinte:
·         Esta Casa de Cultura, não é nenhuma Empresa que faça contratos ou despedimentos, relembro que é uma Instituição sem fundos lucrativos e que também não foi assinado por si quando entrou para a Banda nenhum acordo, papel, carta ou documento, para que quando tivesse que o entregar fosse entregue a referida carta.
·         No Artº 9º do Regulamento Interno da Banda Musical de Outeiro Seco diz o seguinte:
1.      Cada executante será responsável pelo seu instrumento, devendo mantê-lo em bom estado de conservação, devendo restitui-lo à CCPOS, sempre que seja convidado a fazê-lo.
2.      Quer os fardamentos quer os instrumentos musicais são propriedade da CCPOS.
·         E quem disse que queria desistir e entregar o que não lhe pertence foi a Mª José, como está tudo descrito nesta mesma carta.

 

publicado por ccp-outeiroseco às 21:32
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.Artigos recentes

. 26ª Corrida da Páscoa

. XXV CORRIDA DA PÁSCOA

. XXV CORRIDA DA PÁSCOA

. ...

. XXIV Corrida da Páscoa

. XXIV Corrida da Páscoa

. Convocatória para a tomad...

. ELEIÇÕES

. Assembleia Geral

. Classificações da XXIII C...

.arquivos

. Janeiro 2017

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Outubro 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2012

. Abril 2011

. Março 2011

. Setembro 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

.Ligações locais

.Visitas